Contradanças (Séc. 17 & 18)


As contradanças eram a alma dos bailes elegantes do século 18, mas com um pé nas festas populares. A origem das contradanças está nas danças camponesas da Inglaterra, muitas delas ainda medievais, que chegaram à Corte inglesa por causa do tédio dos nobres. A tradição das contradanças diz que os nobres ingleses estavam entediados com as danças de Corte, que além de complicadas serviam mais para mostrar elegância do que para diversão. Grandes parte das danças de Corte eram francesas, assim como os manuais e professores de dança. Mas isso mudaria em 1651, com a publicação do “English Dancing Master”.

John Playford era um editor inglês especializados em publicar livros de música. Em 1651 ele reuniu cerca de 100 danças camponesas, chamadas de “Country Dances” (algo como “danças do interior”), em versões adaptadas para serem dançadas na Corte. Assim surgiam as contradanças, com nomes peculiares como “Cavalo Preto”, “Tolo Sir John”, “Jack Pudim” e “Alegres Moças Leiteiras”, que denunciavam suas origens camponesas.  O livro de Playford foi um sucesso de vendas, sendo republicado várias vezes até 1850.

As contradanças chegaram à França ainda no final do século 17, onde eram consideradas danças leves, uma alternativa às elaboradas danças de Versalhes, cheias de pulinhos e movimentos de braços; lá receberam o nome de contredanses, que deu origem à palavra contradanças em português. Aliás, em 1729 elas já eram dançadas em Portugal, talvez levadas para lá pelos comerciantes ingleses estabelecidos em Lisboa e na cidade do Porto. As contradanças caíram tanto no gosto português que em 1761 já havia um manual delas em português, publicado em Lisboa, apresentando os principais movimento das contradanças e como executá-los com elegância.

Vamos conhecer algumas contradanças bem conhecidas nos séculos 17 e 18?

BLACK NAG

MRS. BEVERIDGE MAGGOT

Citada frequentemente nos livros de Jane Austen

 

HOLE IN THE WALL

Outra contradança que aparece nos livros e nas adaptações de Jane Austen para TV e cinema

 

UPON A SUMMER’S DAY

 

CONTREDANSE ANGLAISE

 

JENNY PLUCK PEARS

 

LEIA MAIS

English Dancing Master – facsimile do original, com partituras

Método ou explicação para aprender a dançar as contradanças (1761) – edição comentada e com escrita atualizada do primeiro manual português de contradanças

OFICINA DE CONTRADANÇAS COM A SOCIEDADE HISTÓRICA DESTHERRENSE – 05.11

Compartilhe

About S.H. Destherrense

Somos um grupo de reconstrução histórica com sede em Florianópoolis-SC e vamos levar você em uma viagem no tempo pela nossa história.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *